Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, Geosaude- 2019

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DA OCORRÊNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL HUMANA NO ESTADO BRASILEIRO DE MATO GROSSO: UM PANORAMA ESPACIAL E DEMOGRÁFICO ATUALIZADO (2001-2016)
Amanda Gabriela Carvalho, André Luiz Mattos Kuhn, João Victor Leite Dias, Emerson Soares Santos, Joao Gabriel Guimarães Luz

Data: 2019-06-20 05:41  – 05:41
Última alteração: 2019-02-25

Resumo


Esse estudo objetivou determinar o panorama espacial e demográfico da ocorrência de leishmaniose visceral (LV) humana no estado brasileiro de Mato Grosso entre 2001 e 2016, e verificar alterações neste panorama ao longo do tempo. Foram incluídos os casos autóctones notificados no estado no período estudado. A evolução temporal e espacial foi verificada pela determinação da incidência anual bruta, e ajustada pelo estimador Bayesiano Empírico Local por município. Comparou-se a ocorrência de aglomerados puramente espaciais pela estatística espacial scan, além das características demográficas dos casos, entre 2001-2006 e 2007-2016. No período avaliado, foram notificados 449 casos de LV no estado em 42,5% dos municípios, destacando-se Rondonópolis (N=212). A incidência anual bruta atingiu o ápice em 2009 com declínio até 2014. As taxas de incidência ajustadas demonstraram dispersão da doença nos seis primeiros anos avaliados com posterior concentração na região sudeste. Na análise comparativa, observou-se manutenção de um cluster espacial de alto risco para LV no sudeste do estado com deslocamento dos municípios acometidos, expansão do cluster de baixo risco nas regiões norte e sudoeste, aumento do acometimento de residentes da zona urbana (p<0,001) e com maior escolaridade (p=0,003). Os dados podem ser úteis para subsidiar novos estudos, controle e vigilância.


Palavras-chave


Leishmaniose visceral; Epidemiologia; Vigilância; Análise espacial; Brasil

Texto completo: PDF