Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, Geosaude- 2019

Tamanho da fonte: 
MIGRAÇÃO E SAÚDE: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO A PARTIR DOS REGISTRO ADMINISTRATIVOS NO BRASIL
Nayara Belle, Karina Matos, Helen Gurgel

Data: 2019-06-20 05:41  – 05:41
Última alteração: 2019-02-25

Resumo


A retomada da intensificação dos fluxos migratórios para o Brasil a partir dos anos 2000 tem estimulado o debate em diversos temas, incluindo a saúde. O objetivo deste trabalho foi obter um cenário preliminar sobre a utilização dos serviços de saúde pelas populações migrantes no Brasil e no Distrito Federal. Para tanto, foram exploradas as bases de dados do Cartão Nacional de Saúde - CNS em todo o Brasil e os registros do Sistema de Internações Hospitalares - SIH do Distrito Federal no período de 2010 a 2017. Como resultado, identificamos a presença de estrangeiros em 83% dos municípios brasileiros. Apesar das limitações apresentadas no preenchimento do campo nacionalidade no cadastro, identificou-se que os haitianos lideram a emissão de CNS para estrangeiros (13%), seguidos dos portugueses (10%). No Distrito Federal, verificou-se que entre os imigrantes, os homens foram os usuários mais frequentes dos serviços de internação. Entre os hospitais que concentraram as internações de estrangeiros destacou-se o SARAH Brasília (94,6%) e 82% do total dessas internações foram para procedimentos cirúrgicos ou de reabilitação. Esses resultados apontam o potencial desses dados para a Vigilância em Saúde e a necessidade de maior cuidado para o preenchimento e utilização das bases de dados.


Palavras-chave


Migração e Saúde; Registros Administrativos de Saúde; Vigilância em Saúde; Cartão Nacional de Saúde; Distrito Federal.

Texto completo: PDF