Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, Geosaude- 2019

Tamanho da fonte: 
OS DESAFIOS DO PLANEJAMENTO TERRITORIAL DOS SERVIÇOS DA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE: O CASO DO MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL
Douglas Bouvier Erthal, Rivaldo Mauro de Faria, Marcelo Zanatta

Última alteração: 2019-03-07

Resumo


A territorialização é uma prática de planejamento fundamental para o ordenamento das ações de promoção e prevenção à saúde na atenção básica à saúde (ABS) no Brasil. Por isso, a Política Nacional da Atenção Básica (PNAB) a definiu como uma diretriz organizativa para a modelagem das redes de atenção à saúde e do próprio Sistema Único de Saúde no país. A efetivação da territorialização nos municípios, todavia, nem sempre é feita conforme critérios sociais e assistenciais ou ainda como uma possibilidade de reordenamento assistencial. Por isso, adentramos o dia a dia da rede de atenção básica à saúde do município de São Sepé, Rio Grande do Sul, para compreender algumas dificuldades encontradas no processo de territorialização, bem como discutir ações práticas e possíveis para um reordenamento territorial dos serviços de ABS nesse local. A metodologia foi baseada no diagnóstico territorial, com uso de dados secundários, e em oficinas de territorialização feitas com uso do método da pesquisa-ação. Os resultados mostraram desafios territoriais para a organização das ações na ABS, tais como as distâncias, limites, perfis e necessidades de saúde. Embora o município tenha uma cobertura universal dos serviços, é preciso buscar soluções mais resolutivas de acordo com as mudanças territoriais.

Palavras-chave


Atenção-Básica-à-Saúde; Territorialização; Planejamento-territorial; São-Sepé

Texto completo: PDF